Logo KIRIRI

TEC IARA: JOGOS PARA APRENDIZAGEM E VALORIZAÇÃO DA ÁGUA EM TERRITÓRIOS INDÍGENAS DA BAHIA

Instituto Federal de Educação, de Ciência e Tecnologia Baiano – IF Baiano
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES
Agência Nacional de Águas – ANA

Trata-se de um projeto financiando pela ANA por meio da Capes, executado pelo grupo XERÓFILAS – IF Baiano/CNPq. Tem o propósito de criar jogos eletrônicos para uso por jovens indígenas, de forma que os ajudem na afirmação étnica, no processo de ensino-aprendizagem contextualizado e na conservação do patrimônio socioambiental e agrobiocultural. Tem como ponto de partida as narrativas dos Seres Encantados das Águas, que dispensam cuidados e que estabele relações entre a cultura indígena e os recursos hídricos. Optou-se, por facilidades logísticas, pelo enfoque nas narrativas do povo Kiriri, indígenas do Nordeste da Bahia e cujo território se situa no bioma Caatinga. Há vários anos, os mananciais superficiais do território se encontram secos, muitos deles assoreados, notadamente na Lagoa Grande, sem água nos últimos 10 anos.

Dentre as narrativas, sobressai a da Cobra Grande, que constitui o personagem do jogo eletrônico desenvolvido participativamente com jovens estudantes, professores e idosos das comunidades de Mirandela e Araçá. Ademais, houve contribuições dos Tupinambá de Serra do Padeiro e dos Kaimbé de Massacará.

As narrativas, contendo os Seres das Águas mais reincidentes são a Mãe d´Água ou Iara, Caboclo d´Água ou Nego d´Água e a Cobra Grande. São relatadas principalmente por pessoas mais idosas das Aldeias e estão relacionadas a práticas que regulam a conservação das águas.

SERES DAS ÁGUAS

Ajude no retorno da Cobra da Lagoa Grande

OS KIRIRI

Conheça um pouco sobre a cultura dos Kiriri

VAMOS COMEÇAR! 1 2 3 4 5 6

SERES DAS ÁGUAS

Ajude no retorno da Cobra da Lagoa Grande

0 PONTOS

NIVEL 1 - A degradação

Processo de perda de solo pelas chuvas, descendo a terra desde as áreas mais altas para as mais baixas, podendo ser natural ou provocado pelo homem e favorecido pelo desmatamento.
Enxurrada
Eutroficação
Erosão

NIVEL 1 - A degradação

Denominação genérica para qualquer manancial hídrico; curso d'água, trecho de rio, reservatório artificial ou natural, lago, lagoa ou aqüífero subterrâneo
córrego
corpo d´água
laguna

NIVEL 1 - A degradação

A água é evaporada, depois se condensa e chove, parte da água de chuva infiltra na terra segue para os aquíferos, outra é conduzida para os rios, lagos e mar, serve para animais e plantas. Depois disso, evapora novamente e o circuito se completa. Como se dá o nome desse ciclo
Divisor de águas
Sublimação
Ciclo da água

NIVEL 1 - A degradação

A deposição de sedimentos (areia, detritos etc.) originados de processos erosivos, transportados pela chuva ou pelo vento para os cursos d’água e fundos de vale é chamado de:
Arrastamento
Entulhamento
Assoreamento

NIVEL 1 - A degradação

Quando o homem retira a vegetação e a chuva bate diretamente no solo, entope os macroporos, a água escorre e não infliltra, a terra fica “pilada”. Esse fenômeno é chamado de:
Erosão
Compactação
Abrasão

NIVEL 2 - Sobre os Conceitos para entender o ambiente e a realidade

O conjunto dos seres vivos e do seu meio ambiente físico, incluindo as relações entre esses componentes, corresponde a:
Interação
Ecossistema
Sistema

NIVEL 2 - Sobre os Conceitos para entender o ambiente e a realidade

Como é chamada a vegetação que margeia os cursos d'água ou que contorna os lagos, nascentes e açudes, situando-se em solos úmidos ou até mesmo encharcados e sujeitos a inundações periódicas.
Mata ciliar
Mata ombrófia
Mata atlântica

NIVEL 2 - Sobre os Conceitos para entender o ambiente e a realidade

Bioma endêmico do Brasil, existente no Nordeste, com muitas cactáceas e plantas com espinho e folhas pequenas. São sujeitas a estiagens periódicas
Cerrado
Campo rupestre
Caatinga

NIVEL 2 - Sobre os Conceitos para entender o ambiente e a realidade

Três plantas comuns, nativas da Caatinga
jurema, incó e mangueira
Jurema, madacaru, juazeiro
jenipapo, cedro, jequitibá

NIVEL 2 - Sobre os Conceitos para entender o ambiente e a realidade

Região de transição entre dois ecossistemas diferentes
Ecologia
Ecótono
Agronomia

NIVEL 3 - Conceitos, técnica

Técnica de plantar seguindo as curvas de nível do terreno, evitando a erosão do solo.
Plantio consorciado
Plantio em nível
Plantio intercalado

NIVEL 3 - Conceitos, técnica

São sistemas criados sob a interferência do ser humano. Exemplos: as roças, podem ser mais simplificas e vulneráveis, como os plantios de um só planta (monocultivos), ou bem complexos (policultivos).
Agroecossistema
Ecossistema
Sistema misto

NIVEL 3 - Conceitos, técnica

Área de proteção no entorno de rios, riachos, lagos e nascentes
Área de Proteção Permanente – APP
Área de Proteção Ambiental – APA
Área de Reserva Florestal

NIVEL 3 - Conceitos, técnica

Conjunto das diferentes plantas e animais resultante do processo de domesticação. Muitas dessas plantas ou animais caracterizam um local, uma região ou um território.
Agroecossistema
Agrobiodiversidade
Agroambiente

NIVEL 3 - Conceitos, técnica

São substâncias químicas fabricados pelo homem, usadas nas lavouras para limpeza de roças (herbicidas), para matar insetos (inseticidas) e outros considerados “pragas” ou ervas daninhas.
Remédios
Larvicida
Agrotóxicos

NIVEL 4 - Conceitos, técnica

Refere-se à variedade de vida existente no planeta, seja terra ou água. Variedade de espécies de um ecossistema. É o conjunto de todas as espécies de plantas e animais e de seus ambientes naturais, existentes em uma determinada área.
Diversidade
Biodiversidade
Agrobiodiversidade

NIVEL 4 - Conceitos, técnica

São exemplos de organismos bioindicadores aqueles ajudam a detectar diversos tipos de modificações ambientais antes que se agravem e ainda a determinar qual o tipo de poluição que pode afetar um ecossistema.
Vacas e galinhas
Abelhas, vagalumes
Ovelhas e pato

NIVEL 4 - Conceitos, técnica

A natureza apresenta uma rede de animias e plantas que interdependem para sobreviverem: decompositores, produtores primários, consunidores primários e secundários. O nome desse rede é?
Cadeia trófica ou alimentar
Rede de serviços
Rede de energia

NIVEL 4 - Conceitos, técnica

Nativo de uma determinada área geográfica ou ecossistema e restrito a ela, diz respeito a:
Endêmico
Epidêmico
Pandêmico

NIVEL 4 - Recuperando a área

Método mecânico de retirada de materiais depositados no leito de rios e lagoas
Desabilitação
Desmatamento
Desassoreamento

NIVEL 5 - Recuperando a área

Isolamento da área para não deixar a entrada de animais domésticos, deixar a vegetação nativa crescer, plantar em policultivo, chuva de sementes, uso de adubo verde e orgânico, valorizar o saber popular. Esses são métodos ou técnicas recomendados para recuperação de áreas degradadas indicados pela;
Agroecologia
Agrometeriologia
Agricultura de precisão

NIVEL 5 - Recuperando a área

O plantio sucessional de espécies envolve: plantio de plantas que gostam do sol direto (primária), plantas que seguem depois (secundárias) e por último as clímax. Na caatinga são exemplo de cada uma delas, conforme a sucessão sugerida para Lagoa Grande no TI Kiriri para recuperar a Lagoa Grande:
juazeiro, jurema, mandacaru
capim Açu, quipé, cedro
pequi, ingá, jequitibá

NIVEL 5 - Recuperando a área

A sua manutenção nos solos é o segredo para o desenvolvimento das plantas e da vida microbiótica dos solos, conservando água e a umidade por mais tempo, trata-se de:
Adubação mineral
Calcário
Matéria Orgânica

NIVEL 5 - Recuperando a área

Para evitar a erosão podemos fazer:
Plantio em nível
Queimar os restos de cultura
Desmatar

NIVEL 5 - Recuperando a área

Água no sistema é associada à:
plantio apenas de roças em monocultivo
existência e manutenção da cobertura vegetal
inexistência de vegetação